Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR. Portanto assim diz o SENHOR Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o SENHOR. E eu mesmo recolherei o restante das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; e frutificarão, e se multiplicarão. E levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e nunca mais temerão, nem se assombrarão, e nem uma delas faltará, diz o SENHOR. (Jeremias 23:1-4)” Deus criou você para ser uma estrela com sua própria grandeza, executando o potencial que Ele mesmo lhe deu. E Deus me enviou à terra com uma missão. Só Ele pode me deter, os homens nunca poderão. E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai. Esse blogger tem como objetivo trazer ao público interessado uma verdadeira meditação sobre o que realmente tem levado centenas de pessoas a não irem mais a Igreja. Nosso objetivo é buscar respostas através de cada opinião aqui registrada.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

AO PREGAR, PORQUE GRITAR?

É melhor ouvir as palavras calmas de uma pessoa sábia, do que os gritos de um líder numa reunião de tolos.” (Eclesiastes 9:17). Crer-se ter sido Salomão o autor do livro de Eclesiastes, vimos neste versículo o autor promover uma relação entre a prudência e o volume da voz. Aprendemos que o texto nos ensina que, há uma relação direta entre a voz e o nível de equilíbrio emocional de quem fala. Ao nos sentirmos encurralados por alguma coisa, e ao sermos afrontados, sem termos bons argumentos, não é difícil apelarmos para o grito, para o tom mais agressivo da voz, e ai é bom se lembrar da passagem “ouvir as palavras calmas de uma pessoa sábia” é reconfortante e construtivo. O profeta Elias se encontrou desesperado um dia, fugindo da morte, porém desejando morrer, e a ajuda que obteve do Senhor não foi uma grande ventania, nem terremotos, nem chamas de fogo intensas. Deus simplesmente restaurou o profeta através de uma “voz mansa e suave”. Muito se vê nos dias de hoje líderes em púlpitos das igrejas que, gritam a plenos pulmões seus sermões, como se a sabedoria do Senhor pudesse ser influenciada e imposta pela eloquência simplória dos homens. O Senhor não quer “gritos de um líder” e sim a simplicidade, de uma mente capaz de absorver uma palavra genuína, que ao ser ministrada penetre o coração dos ouvintes não pelo tom de voz que está sendo imposta e sim pela essência do conteúdo dirigido pelo Espírito Santo para que esses ouvintes sejam convencidos de seu mal caminho, reconheçam que são pecadores e necessitam do perdão de Deus, que só pode ser alcançado por intermédio de crer em Cristo Jesus como Senhor e salvador de sua vida.